Garage Kit – Tutorial Completo

A seguir, mostraremos como montar um garage kit, desde a sua preparação até a conclusão. Veremos que a construção requer certos cuidados, mas nada que, com um pouco de paciência e pratica adquirida com o decorrer do tempo, impeça de realizar um maravilhoso trabalho. Dividimos a seqüência de trabalho em etapas, para melhor esclarecimento, que são:

– Material: Ferramenta/Tintas
– Montagem: Planejamento/Limpeza/Eliminação de defeitos/Ajustes
– Pintura: Preparação para pintura/Pintando o modelo
– Colagem
– Base

MATERIAL
Para a realização de uma boa montagem de um garage kit será necessária uma série de materiais, não havendo necessidade de se adquirir todo o material que se segue na lista, mas com o decorrer da prática será necessário ter a melhor variedade possível de material para uma boa montagem e você descobrirá ainda outros materiais, que não constam na relação, conforme sua necessidade e metodologia de trabalho. O conjunto de material se divide em ferramental e tinta.

01 – FERRAMENTAS
A lista que se segue foi elaborada conforme o que se tem de acesso em nosso mercado. Algumas ferramentas são mais fáceis e populares, já outras, principalmente as que são importadas, são mais difíceis de se encontrar, pois só são encontradas em lojas especializadas na arte do modelismo. Esta lista não é definitiva, pois cabe a cada modelista definir o que melhor lhe convier em relação ao que existe disponível no mercado. É aconselhável verificar tudo aquilo que for fundamental para se começar no hobby e ir adquirindo conforme a necessidade.

-Pinças, Papel toalha e flanela, copos descartáveis, vinagre, escova de dentes, cotonetes e tesouras.

-Minifuradeira elétrica, mandril manual, brocas e pedras de polimento e debaste (Essas ferramentas são encontradas em lojas de material odontológico, de relojoeiro ou de modelismo).

-Estiletes e lâminas (ou facas para cortar carpete): Tenha à mão mais de uma dessas ferramentas, pois as lâminas se desgastam com rapidez e como o trabalho é extremamente delicado é necessário manter lâminas permanentemente afiadas.

-Secador de cabelo manual: para secar as peças e acelerar a secagem da pintura.

-Palitos de dente, elásticos, pregadores de roupa, grampos de papel e morsas (são usados para prender ou fixar algumas partes do modelo).

-Vasilhame plástico (para lavar as peças. Podem ser aqueles utilizados para guardar alimentos).

-Massa Epoxi, massa plástica ou Putty (Putty é uma massa fabricada para preencher pequenas falhas e muito utilizada na prática do modelismo)

-Fitas adesivas (utilizadas para fixação e mascaramento)

-Clipes, alfinetes, arame, pregos em diversos tamanhos (São utilizados para pinar as peças)

-Tintas, Primer, solventes, pincéis e vernizes.

-Caneta tipo retroprojetor e canetas coloridas tipo gel (encontradas em papelarias), canetas Gundam Marker (encontradas em lojas de modelismo) – Estas canetas servirão para detalhamento do modelo.

-Vaselina em pasta (Serve como desmoldante)

-Miniserra de arco (Utilizada para tirar rebarbas grandes ou para o caso de alguma modificação no modelo)

-Pedaço de isopor (para fixação e para o descanso das peças)

-Pincéis

-Alicate de corte ou de unhas para as rebarbas.

-Palha de aço (para acabamento

-Cola à base de cianocrilato (Bonder), adesivo Epoxi (Araldite) e cola branca.

-Sondas odontológicas (Este ferramenta é usado para correções de peças e modelagem)

-Limas “agulhas” para debaste e nivelamento das peças.

-Lixas d`água em várias granulações

02 – TINTAS
É possível pintar um modelo com propriamente todos os tipos de tintas disponíveis no mercado, variando a qualidade de pintura conforme o tipo e a prática do modelista. Os tipos mais comuns à disposição no mercado são as acrílicas e as à óleo.

A: Tintas acrílicas: São tintas com as melhores opções. Têm como solventes a água, a álcool e a thinner. São encontrados os seguintes tipos: Acrílica para tela e aerografia (marcas Acrilex, Corfix, Gato Preto, Liquitex, Winsor e Newton). São comercializadas em bisnagas e em potes e têm uma grande variedade de cores, miscíveis entre si, dando possibilidade de aumentar a gama de cores. São atóxicas e solúveis em água e seu acabamento vai do fosco para o acetinado. São as de maior facilidade de aquisição e acesso, pois são encontradas em papelarias e lojas especializadas em artezanato e artes. (imagem 24). Já a Acrílica para modelismo (Tamiya, Gunze Sangyo, Humbrol, Citadel, Aeromaster e Modelmaster) são encontradas em lojas especializadas. São solúveis em água e álcool. Existe uma boa gama de cores, sendo a Gunze Sangyo e a Humbrol as que possuem maior variação de cores para a pintura de um garage kit de animê e mangá. Nem todas são miscíveis entre si. São as que têm melhor acabamento final. Alguns fabricantes têm disponível esta tinta no formato spray, porém com menor variedade de cores.

B: Tintas a Óleo: Esmalte Sintético é o tipo mais comum no mercado e com melhor preço. É tóxica e tem como diluentes, o thinner e o aguarrás. Necessita de um maior tempo de secagem, porém tem um acabamento fino. Normalmente é necessário a aplicação de mais de uma demão de tinta. Existe em uma razoável variedade de cores. Já o Esmalte sintético para modelismo só é encontrado em lojas especializadas. A variedade de cores é grande, principalmente da marca Humbrol. (imagem abaixo)

MONTAGEM

01 – PLANEJAMENTO DE TRABALHO:
Com o modelo em mãos, deveremos verificar se todo o material necessário está disponível para começar a trabalhar nela (imagem 26). Além do material, alguns detalhes são importantes para a montagem do garage kit tais como:
Um bom local de trabalho é aquele que oferece uma boa iluminação, ventilação e conforto. A iluminação é muito importante devido ao tamanho das peças e o cuidado ao manusear, evitando forçar as vistas. A ventilação deve ser a melhor possível em virtude de alguns materiais serem tóxicos, e no que se refere ao conforto, é que o trabalho deve ser agradável, pois esse é meticuloso e lento. O local de trabalho ideal é aquele que permitirá montar seu modelo com total tranqüilidade, visto que em algumas etapas, será necessário deixar o modelo em descanso por algum tempo, pois necessitam de tempo de secagem.
Deveremos sempre tomar cuidado com materiais tóxicos e inflamáveis, tais como tintas e diluentes. Uma boa referência visual do modelo também é aconselhável, pois através dele obtém-se melhores detalhes da figura. A partir destes cuidados e com todo o material necessário em mãos é que estaremos prontos para começarmos o trabalho no modelo.

02 – LIMPEZA DO MODELO
Nesta etapa de trabalho teremos a identificação do modelo. A primeira etapa será verificar todas as peças que constituem o modelo verificado, os possíveis defeitos e conferindo as partes junto à folha de montagem que acompanha os garage kits. Após esta verificação, deveremos lavar o modelo em água com detergente para que eliminemos os resíduos que possam prejudicar o acabamento (imagem 27). Os materiais e ferramentas que necessitaremos nesta etapa serão os seguintes:

Água com detergente, lixas d`água de várias granilações, limas “agulhas”, escova de dente e alicate de corte ou de unha. Assim que o modelo esteja lavado e seco (deixar o modelo secar por si próprio, pois ao passar um pano, poderemos criar estática na superfície dele, prejudicando a montagem) começaremos a eliminar as possíveis rebarbas que acompanham o modelo. Esse processo é efetuado com o auxílio de um alicate de corte ou de unha (caso a rebarba seja grande, o mais aconselhável será usar a miniserra de arco). Dependendo da rebarba, é possível a eliminação da mesma com o estilete (seqüência abaixo).
Em seguida, utilizaremos as lixas; começaremos com a de maior para a menor granulação. Sempre deveremos utilizar as lixas molhadas, para não ocorrer de arranhar a peça (seqüência abaixo). Para melhor lixação, colocaremos na água a ser utilizada, um pouco de detergente, para que ocorra lubrificação e um melhor aproveitamento das lixas. É bom lembrar que quando utilizar as limas não se deve pressionar muito para não lixar mais que o necessário. Esse processo é válido para todas as partes do modelo. Antes de passar para a próxima etapa, será necessário verificar novamente todas as partes e, caso tenha ficado alguma rebarba, deveremos fazer o lixamento da mesma.

03 – ELIMINAÇÃO DE FALHAS E BOLHAS DE AR
É comum os garage kits apresentarem falha na injeção e bolhas de ar de superfície e internas (imagem 30). Nas falhas de injeção resolveremos o problema com massa Epoxi e ferramental odontológico, remodelando a falha (imagem 31). Poderá ocontecer também de aparecer bolhas internas e de superfície que também resolveremos como no processo de rebarba. Uma boa dica para dar o acabamento com a massa epóxi, é utilizar o vinagre. O vinagre pode ser passado com as pontas dos dedos ou cotonete. Após a secagem da massa epóxi, daremos lixamento.

Após todo este processo, lavaremos o modelo e verificamos se ainda tem alguma falha ou bolha. Caso isto aconteça, deveremos repetir o mesmo processo anterior. Assim que esta etapa esteja pronta, passaremos uma palha de aço em todas as partes, tomando o cuidado para não pressionar muito, caso contrário arranhará o modelo.
Obs: Talvez algum detalhe do modelo venha quebrado ou faltando. Em casos assim, deveremos remodelar o detalhe com massa Epoxi, utilizando as ferramentas odontológicas e vinagre, e assim que estiver seco fazer o acabamento.

04 – AJUSTES DE PARTE
Esta etapa talvez seja a mais delicada, pois deveremos testar e preparar os encaixes do modelo. O melhor para a execução é começar no sentido do tronco para os membros e, posteriormente, as partes menores (imagem acima).
Nesta etapa, serão precisos os seguintes materiais e ferramentas: minifuradeira ou mandril manual com broca de ourives, estilete, clipes ou arame, caneta tipo retroprojetor preta, massa Epoxi, vaselina em pasta, fita adesiva e lixa.
O primeiro passo é verificar se as partes do modelo oferecem algum encaixe nas junções de peças. Após esta verificação, começamos a fase de pinagem. Pegaremos duas partes seqüênciais, tais como o tronco e a perna direita, após testar, mantenhas as partes juntas e faça a marcação necessária com a caneta retroprojetor, conforme vê-se nas fotos (imagem abaixo).

Este processo é válido para todas as partes do modelo, pois servirão de guia para a perfuração da peça. Assim que estiver concluída esta etapa, começaremos a efetuar a perfuração das partes. Em seguida pegaremos um clipe ou pedaço de arame e começaremos a pinar o modelo, ajustaremos os tamanhos dos mesmos e verificaremos se os furos foram executados corretamente, caso contrário deveremos corrigir este problema refazendo os furos (seqüência imagem abaixo).

Algumas partes talvez não se encaixem perfeitamente, neste caso, utilizaremos massa Epoxi para que sejam acertados os encaixes. O processo será colocar massa Epoxi, numa parte, e vaselina em pasta no encaixe com defeito. Junte em seguida as partes pressionando a massa. Faça com atenção para que não ocorra deslocamento e prejudique o encaixe. Separe as partes com cuidado e deixe secar. Após a cura da massa Epoxi, dê o acabamento com lixa, fazendo a marcação com a caneta preta e perfurando as partes. Após todo este processo, lave todas as partes com bastante atenção para que não fique nenhum resíduo, pois entraremos na etapa de pintura.

PINTURA

01- PREPARAÇÃO PARA A PINTURA
Para esta etapa, precisaremos além das tintas, uma variedade de pincéis, vários palitos de dentes, uns pregadores, Primer, um pedaço de isopor e fitas adesivas (imagem 37). O local a ser utilizado para pintura deverá ser limpo para evitar que a poeira se deposite nas peças quando estiverem secando, não ce esquecendo da ventilação. O modelo deve estar totalmente limpo e com todas as correções efetuadas. Devemos colar os pinos longos nas peças, pois quando da aplicação da tinta serão estes pinos que servirão de suporte para que peguemos as peças sem danificar a pintura; eles também servirão para colocar as peças em descanso para a cura da pintura. Após esta etapa, aplicaremos o Primer (imagem na próxima pagina). A utilização do Primer é aconselhável para melhor aderência da tinta. O Primer é um produto específico para preparação de superfícies. É encontrado em latas ou em spray.

Em algumas lojas especializadas em modelismo poderemos encontrar Primer fabricado especificamente para este trabalho. Sua cor deverá ser sempre clara, de preferência cinza, que é uma cor neutra. Caso após a cura do Primer aparecer alguma imperfeição, deveremos repetir o processo de emassamento, lixamento e acabamento somente no local que ocorrer este problema. Só após o Primer estar totalmente seco que poderemos começar a pintar.

01- PINTANDO O MODELO
O segredo de uma boa pintura a pincel é justamente a qualidade do mesmo. Ou seja, quanto melhor for o pincel, melhor será a qualidade da pintura. Para esta etapa é aconselhável usar os seguintes pincéis:

– Pincel chato médio – para as áreas maiores
– Pincel chato pequeno – para as áreas menores
– Pincel redondo médio – para as áreas maiores
– Pincel redondo fino – para o detalhamento

Com estes pincéis e com o tipo e tonalidade de cores escolhidas conforme a indicação da figura poderemos começar a etapa de pintura. Comece a pintar com a figura com as cores mais claras, terminando com as escuras. Comece pelas partes maiores e mais simples, deixando as menores para o final. Caso tenha dificuldade em sobrepor uma cor a outra, evitando que manche a parte já pintada, é aconselhável usar fita adesiva conforme nas fotos (seqüência ao lado).
Utilize sempre nas áreas maiores os pincéis chatos, pois estes abrangem uma área maior. Algumas cores tem pigmentos mais transparentes, sendo necessário em alguns casos a aplicação de uma segunda demão de tinta. Neste caso, espere a primeira demão secar. Os pincéis mais finos serão utilizados nas partes menores dos modelos e no acabamento. Não esqueça que para mudar de cor é necessário que a anterior esteja seca. Deixe os detalhes do rosto para a última etapa, pintando somente a cor da pele. Após todas as partes estarem pintadas e secas, faremos o detalhamento do rosto.
Nos garage kits de animê, os olhos são a alma do modelo. Deveremos então, dedicar aos olhos a maior atenção para que o trabalho fique bom. As fotos da próxima página demonstram como devemos pintá-los. Outra forma de pintar os olhos poderá ser feita com canetas coloridas tipo gel; são importadas mas bastante comuns nas livrarias e seu preço é bem acessível. O procedimento de pintura é idêntico ao do pincel.

COLAGEM
É necessário para esta etapa cola à base de cianocrilato (Bonder) e ou cola Epoxi (Araldite), cola branca, alicate e palitos de dentes. Assim que o modelo esteja totalmente pintado e seco, começaremos a montá-lo. Primeiramente cortaremos os pinos da medida exata de encaixe e testaremos a montagem para que possamos criar uma seqüência de montagem, a qual varia de modelo para modelo.
Sempre devemos começar a montar o modelo a partir do trompo para os membros e daí para os cabelos e acessórios. Usaremos a Bonder ou Araldite para a colagem, não esquecendo de eliminar qualquer resíduo de tinta na área que receberá a cola. Assim que o modelo esteja todo colado, faremos um furo e usaremos um pino de maior resistência na parte do modelo que ficará em contato com a base; em alguns casos serão necessários mais de um pino, dependendo do modelo a ser montado.
A cola branca será usada no caso de algum encaixe deixar uma fresta. Nesse caso, aplicaremos a cola branca com palito de dentes, eliminando o excesso com um cotonete úmido. Assim que esta etapa esteja pronta, é aconselhável a aplicação de um verniz para que a peça fique mais resistente à poeira e para valorizar o trabalho. O Verniz deverá ser em spray, pois é muito fácil de aplicar, evitando assim danificar o modelo. A escolha da intensidade do brilho do verniz fica a gosto de cada um, podendo variar do fosco ao brilhante, passando pelo acetinado. A marca de verniz mais fácil de se encontrar é Acrilex.

BASE
Depois de pronto e envernizado, devemos colocar o modelo numa base. Esta base é de inteira liberdade de escolha do modelista, podendo ter qualquer formato e ser de qualquer tipo, porém deverá estar em equilíbrio com o trabalho executado. Fure a base nos locais, conforme os pinos colocados na figura. A colagem poderá ser feita com Bonder ou Araldite.

Fonte: Anime Pró

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: